sábado, 5 de agosto de 2017

O que é natural é natural por inteiro, não o é só em metade, três quartos, um oitavo...
Já dizia o querido, querido Pessoa.
Atente-se nisto para entender o tipo de ligações que se cria e mantém.
Não dá para forçar nada.
Não se pode querer mais do que poder, a ordem jamais conseguirá ser trocada no que toca à naturalidade.
Tudo o que queres podes, mas nem sempre podes o que queres.
Tudo o que é natural vem a nós uma fração de milésimo de nano-segundo implacável.
Não se reanimam pessoas ou pescam sentimentos. O viver implica um cegar da não naturalidade. O reatar implica ultrapassar o que foi feito de não natural. Só se restabelece a ordem do que já está ordenado, do que não foi roubado, tolhido, fingido, guardado em força. A naturalidade não se pede, flui no vento e na água.
Oxalá os meus timings possam ser compativelmente naturais com quem mais me venha ensiná-los.

Sem comentários:

Enviar um comentário