terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Mia and Sebastian's theme... ou de todos nós



Quem me conhece sabe que mais facilmente agarro um filme do cinema alternativo que do circuito comercial. Mas o La La Land tem qualquer coisa de muito muito especial.
Merece sem dúvida o que quer que tenham para lhe dar, mas muito honestamente merece mexer, remexer, avivar, deslumbrar o que há verdadeiramente dentro de nós, que acorda, respira e escurece no tempo, fruto do pragmatismo, velocidade e amarguez que a vida força a dar.
Mas eu falo da beleza dos sonhos. Do amor. De acreditar, de forma pura, transparente. De ser maravilhoso para alguém. O seu companheiro. Ser criativo, ter fé e trabalho nos talentos e em algo maior. De voltar a ver pós de estrelas, que com a crueldade e fatalidade que a vida trás ficam desvanecidos nas memórias de infância. Naquelas pintadas a música clássica, quando o sol brilhava quente, muito alto e onde tudo era novo e inocente. 
É para isto que se inventou a arte, o cinema, e o poder das pessoas sentirem e pensarem no que realmente importa na vida...Percepcionar e reconhecer-lhe beleza e amor. Só para lhe poder acrescentar ainda mais.

Sem comentários:

Enviar um comentário