sábado, 11 de fevereiro de 2017

A compaixão é uma coisa muito maior e mais nobre do que a piedade, pois esta tem as suas raízes no medo, num sentido de arrogância e condescendência, e por vezes até, num agradável sentimento de "ainda bem que isto não é comigo". Tal como diz Stephen Levine, "Quando o teu medo toca na dor de alguém, faz-se piedade. Quando o teu amor toca na dor de alguém, faz-se compaixão". Viver na compaixão é, portanto, saber que todos os seres são iguais e sofrem de maneira semelhante, é honrar todos os que sofrem e saber que não estamos separados deles nem somos superiores a ninguém. 
Deste modo, a vossa primeira reacção ao verem alguém a sofrer não será de mera piedade, mas sim de profunda compaixão. Chegarão até a sentir respeito e gratidão por essa pessoa porque agora já sabem que quem quer vos incite a desenvolverem a compaixão está de facto a conceder-vos a maior de todas asdádivas, uma vez que vos ajuda a libertarem a qualidade de que mais necessitam no vosso avanço para a iluminação.

O livro tibetano da vida e da morte

Sem comentários:

Enviar um comentário