sábado, 7 de janeiro de 2017

Talvez a razão mais profunda para termos tanto medo da morte resida no facto de não sabermos quem somos. Acreditamos numa identidade pessoal, única e separada, mas, se tivermos coragem para a examinar, descobriremos que essa identidade depende inteiramente de uma infindável colecção de coisas que a suportam: o nosso nome, a nossa biografia, a nossa familia, a casa, o trabalho, os amigos, os cartões de crédito... É nesse apoio frágil e transitório que confiamos, para nossa segurança. Então, quando nos levarem isso tudo, faremos alguma ideia de quem na verdade somos?"

O Livro tibetano da vida e da morte

Sem comentários:

Enviar um comentário