terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Quantos amores existem numa vida?

Em algo com um potencial tão vasto, múltiplo e complexo como é a vida, esta desenrolar-se-á com os inúmeros caminhos que surgem, mesmo já dentro de muitos outros que estejam escolhidos. Quer seja destino ou predestinação, livre arbítrio ou plena certeza da lógica e do éfemero, pragmatismo ou poesia e beleza extraída, quantos amores existem numa vida?
Quantos pianos ficarão a tocar?
Quantos sorrisos voltariam a relembrar
Quantas imaginações ficaram esvoaçantes
O que quer que consegue unir-nos em instantes?
Talvez exista alguma sabedoria
em não mais voltar
a uma estrada perdida
que findou junto do mar.
Julgamos nós seguir a vida
veloz e astuta nas suas qualidades práticas e reais
mas não será ela que nos segue
fazendo de nós aquilo que não somos mais?

Sem comentários:

Enviar um comentário