quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Incomparável é adjectivo de uma má história

Qualificar com o adjectivo de incomparável ou um dos seus requintados e gabosos sinônimos é colocar algo numa fasquia onde não pertence. Algumas ou muitas das decisões menos benéficas e transformadoras foram tomadas a pensar na incomparabilidade dos momentos. Viver sabendo que lá algures no castelo querido do conto de fadas, se conheceu, viveu, pereceu junto do melhor dos melhores, seja ele um trabalho, uma relação ou um local, tornando-nos submissos à ideia de que arriscar é passível de se poder não ficar melhor. Pois eu digo, que se LIXE. Que se lixe isso tudo. Que fique a ideia do melhor possível. O melhor possível que nos alcançou pelas nossas opções. O melhor possível do que nos faciltámos em conhecer. Os quatro cantos que configuram a moldura onde se está instalado. É tudo sempre maravilhoso até conhecer outros pontos, histórias, ares. Que depois também passam elas a ser felizes e nossas, porque apropriamo-nos não delas mas dos significados. E aí está uma diferença entre o que é incomparável. É o que obtemos através da nossa inteligência e percepção, e não o objecto em si. O significado e não o significante. Quem me dera já o ter sabido!

Sem comentários:

Enviar um comentário