sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Elogio aos loucos

Este texto é para todos aqueles que fazem a diferença na vida de alguém. Na diferença difundida pelos círculos por onde se movimentam, ou talvez possa nomeá-los de quadrados, rectângulos e tudo onde exista um vértice em pleno na normalidade que se passeia. Este texto é para os que são chamados de peças, personagens, entre outros eufemismos refrescantes. É para aqueles seres enormes cheios de luz num local acinzentado e surpreendentemente adivinhatório do que vai ser dito. Para quem agita com novas cores, propostas ou exaltações interiores. Os que não passam de modas, nem são de modas. Contudo, que não se confunda com povoamentos de raiva e assuntos mal resolvidos que fazem surgir respostas em torpedo, que em erro de encaminhamento, acabam por ser mais sentidas pelo emissor do que pelo receptor. Remeto-me a a discursos, monossílabos e figuras de pensamento proferidas apenas por quem tem clareza, inquietação, ironia e inteligência suficiente para colocar os outros a admirar, pensar ou preocupar pelo níveis de insanidade mental discrepantes do seu quotidiano. Esses fazem falta, muita falta para este belíssimo mundo. Precisámos ao longo da história de várias contribuições dadas por pessoas para a ciência, paz, humanidades, entre outros. Mas no micro mundo onde a vida é realizada em menor escala, precisa-se urgentemente de gente louca, disposta a marcar com criatividade e humor aquilo que floresce dentro delas e aos outros é tão necessário ou estranho. No dia em que (me) faltar loucura, seriamente me preocuparei com a hipótese grave de estar a ficar doente e senil.

1 comentário:

  1. Ah sim! No dia em que te faltar a loucura, eu próprio te levo ao hospital psiquiátrico mais perto! Porque os lemas podem sempre ser adaptados: loucos mas bons ;) *

    ResponderEliminar