domingo, 21 de agosto de 2016

Pontos de balanço


Sem legendas possiveis de adicionar

Um dia quiseste ser ingénuo, temeroso ao ponto de não testar o medo, optando por sentir o sol e vento na cara, exibindo a inocência de viver na espuma dos dias. E foi de dias que esse calendário se fez, como uma fonte cuja água não cessava de jorrar, mas da qual nunca te inquietaste em perceber como se formava e onde terminava esse mesmo caudal. Em tudo existe esse principio, meio e fim. Nem que seja a origem de uma ideia, sua elaboração e posterior destino final. Viver é transformar. Aceitar o que nos chega, principalmente não resistir ao que a nós se avança. Seja uma decisão, um medo, um coração pequenino. A tudo o que se resiste o universo impõe três vezes mais força para que não se canse de chegar até nós. Talvez para nos lembrar que somos capazes, que precisamos de obter maior clarividência. Ou para não pronunciarmos em definitivo os nuncas e sempres que convictamente defendemos. E sentindo que o que há para viver, é no agora que se faz. O passado e futuro faz-se de agoras. Do agora que vivemos, ignoramos, que planeamos. E é nesse agora onde eu quero ser feliz. Para poder recordar e antever algo que também espelhe semelhante sentimento.

2 comentários:

  1. Estar mal (e não digo menos bem, pk não tenho medo da palavra "mal"), significa estar ciente do que é o bem.
    Será o "mal", o lado negro da vida? Ou será o "mal", o "bem" essencial à sensação de cada poro, cada fio de cabelo, cada papila gustativa.
    Posto isto, permito-me estar "bem (no) mal", e com isso, reconheço-me cada dia mais e mais.
    Obrigada a todo este mal, que me põe tão bem.

    Adoro-te meu copo de tinto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. infelizmente o sofrimento, a renúncia, a consolidação de ideias às quais se fugia ou vislumbrava tenuamente fazem florir o melhor de nós. o melhor porque, não estariamos despertos, reactivos, estimulados, se essa profunda e dolorosa sensação não ecoasse no mais íntimo de nós, nos entregando a verdade e a outros rumos que eram desconhecidos ou ignorados. sou grata a todas as dores emocionais e aos choques terapeuticos que me assolaram em anos. tudo valia pouco se esse tudo fossem só flores, sorrisos e ingenuidades.

      Eliminar