sexta-feira, 26 de agosto de 2016

De Marcelo Gleiser, em "Criação Imperfeita"

Como explicar o sucesso de Kepler? Numa palavra, «procura». Acreditar numa ideia é a condição básica para tentar prová-la como correcta. Tal como o viajante que acredita na Terra Prometida e sai em sua procura, descobrindo novos lugares pelo caminho, muitas das descobertas mais importantes da ciência ocorreram durante a procura de objectivos que nunca foram atingidos.(...) É irónico e justamente importante para o nosso argumento, que precisamente o homem que tanto amava a simetria acabasse por provar que o círculo - a mais perfeita das formas - não tinha um papel central na astronomia. A estrututra do cosmo deixou de ser um sonho humano, passando a ser uma realidade científica, imperfeita e assimétrica. Kepler proporcionou-nos um cosmo menos belo, mas uma ciência mais precisa. A lição que aprendemos é tão simples quanto essencial: para nos aproximarmos de uma verdade, teremos que nos abandonar por diversas vezes dos sonhos de perfeição.

Sem comentários:

Enviar um comentário