quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Breve reflexão sobre a saúde mental

Subtraindo todas as etiologias genéticas e biológicas que contribuem para o aparecimento de doenças mentais, é urgente que se começe a repensar os pilares onde a sociedade assenta e caminha solidamente. Os empregos, que seriam uma abobóra transformada em coche para uma vida melhor, tornaram-se num poço sem fundo de stress mental, emocional, físico e interrogue-se, qualquer outra categoria de stress não mencionada anteriormente. Tudo o que sejam estruturas hierárquicas e organizativas ignoram homicidamente o facto de que todos têm carne e osso ao invés de ferro e maquinaria. Claro está que existem pessoas que deliberadamente escolhem uma entrega missionária ao trabalho em prol de objetivos (ou ás vezes da própria vida), cujos efeitos dessa mesma entrega serão repercutidos nas longas horas a que nele estão imersos. Já Manoel de Oliveira via novelas brasileiras nas horas vagas alegando que era isso que lhe fazia descansar o cérebro. Pois eu dou vivas ás novelas brasileiras. Há Rihanna, José Malhoa e música carrinho de choque em alto som. A Bon Iver, Amália e Tom Jobim dentro do coração. A longas noitadas virtuosas com amigos leais a dançar, rir, brindar, conversar e ver gente passar. A horas de lazer a correr, saltar, fazer amor, sorrir, ler, interessar pela vida, pessoas, arte, ridículo. A guiar-nos por disciplina e brio e simultaneamente por um grau de doidice mental que nos permita ser absolutamente saudáveis. Só assim se pode aguentar esta vida de loucos.

1 comentário: