sábado, 18 de junho de 2016

Vida pura... ou vida puta?

Em vida pura

De pura a puta a diferença semântica reside em contar a partir de uma letra, mais duas singelas e singulares letrinhas do alfabeto. Modestas, obtusas, profanas ou simplesmente, existentes no caminho. Como alguém que surgiu no caminho de outro para o mudar para sempre, ou roubar e dar um sonho, essas letrinhas no alfabeto existem de igual maneira para diferenciarem, marcarem, distinguirem factos, posturas e idiossincrasias. Qual é de verdade a puta e a pura? E em quantos momentos elas não se fundem, repudiam, desejam-se? Naqueles momentos em que nos prostituímos por pessoas e verdades em que não se acredita, compactua ou reconhece? E noutros em que, ao assumir o que se sente verdadeiramente, de feliz ou lânguido, somos um espelho límpido e honesto do que trazemos cá dentro?!
Portanto de pura a puta... Não existe uma diferença sexual, pornográfica ou oferecida. 
Todos possuímos estas cordiais palavras no nosso âmago. E que não exista puritano que se afronte, ou puta que repudie a sua origem.

Sem comentários:

Enviar um comentário