quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Para ti




















Contemplo sem hipótese de fuga
o inverno na janela dos dias
e ao som da chuva renovadora
vou esperando por outras melodias

O céu coloriu-se de cinzento
mas vou espreitando afincadamente
para imaginar um rasgo de azul
nos momentos em que está ausente

O vento sacode e rodopia
a roupa esquecida no estendal das memórias
avizinha-se o tempo de arrumar no armário
aquilo que pertenceu a outras histórias

Deixo-me permaneçer à janela
para ver o desfolhar de cada estação
desejando saber aplicar interiormente
a mesma capacidade de renovação.

1 comentário: