terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

O amor próprio perguntou ao amor
O que posso fazer para te esqueçer?
Este respondeu-lhe rapidamente
Quando olhares para ti vais perceber.

O amor próprio com esta resposta simples
e imediamente complexa
sentiu-se logo perdido
levando as mãos à testa!

O amor riu-se maldosamente
como que querendo sentir-se desejado
porém, logo lhe cessou a vontade
de atear um fogo indelicado.

Vendo o amor próprio sem respostas
ajudou-o a perceber
dizendo-lhe sem rodeios
é só preciso um para o viver.

Pergunta o amor próprio
Mas não é melhor partilhado?
foi aí que percebeu
como estava enganado.

O amor afirmou convictamente
que para manter o queixo erguido
basta apenas adicionar identidade
em tudo o que estiver subtraído!

E aí o amor próprio entendeu
que ao respeitar em cada vida a singularidade
o que se sente como triste
é transformado em oportunidade!

Sem comentários:

Enviar um comentário