quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Existirá algo tão inspirador
como uma pessoa que se aceite a si mesma?
num processo complexo, rico, sinuoso
onde abraçe o fracasso, desilusão, tristeza?

Não me remeto aqueles
que para disfaçar e esconder fragilidades
fecham-se numa armadura de posturas e palavras
escondendo deles as próprias verdades.

O longo caminho da solidão das escolhas
trás-nos sempre de volta a nós mesmos
contudo seremos sempre muito mais
do que só as opções que elegémos

Abster-se de uma imagem narcísica
pois só um Deus abarca tanto ego
e da autocomiseração e inferioridade
para não se praticar o próprio desapego.

Nestas questões de personalidade
convém decidir uma opção
ser o brilho conjunto de uma estrela
ou apenas um cometa que atravessa a imensidão.

Sem comentários:

Enviar um comentário