domingo, 28 de fevereiro de 2016

O Jardim zoológico de cristal
são mais do que peças de animais temidos ou domesticados
são todos os medos e sombras escuras
que ganharam força e significados

Podes fugir da vitrine
enganar-te para não a observar
mas no mais profundo de ti
elas vivem no prazer de te acompanhar

Abusam da memória obscura
que oportunamente interpreta as acções
para criticar, oprimir, ridicularizar
aquilo que deveriam ser espontâneas sensações

"Ele agora já é como os outros"
Dizia alguém num desejo sufocado
E por dentro um cristal partiu-se
de se sentir tão identificado.

Como é estranho e especial
poder sentir-se tanto, estar vivo e potenciar a felicidade
e experienciar constantamente
uma prisão de inferioridade.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

:)

Uma imagem distante



Esta foto foi tirada pelo fotógrafo Paul Nicklen para a National Geographic.
O que vemos é a imagem do degelo.
Das águas do degelo que jorram na ilha de Nordaustlandet, no arquipélago de Svalbard no Ártico.
Este é o local que mais está a aquecer de todo o planeta.

Todos os dias quando nos levantamos de manhã para um dia de rotina ou de excitação, algures no Ártico a água vai, continuamente, interminavelmente jorrando.
E continuamos a levantarmo-nos todos os dias, com as pequenas e grandes preocupações que vão assolando as nossas vidas. E a água vai jorrando. Tão distante. Que faz parecer que (ainda) não é nada connosco.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Existirá algo tão inspirador
como uma pessoa que se aceite a si mesma?
num processo complexo, rico, sinuoso
onde abraçe o fracasso, desilusão, tristeza?

Não me remeto aqueles
que para disfaçar e esconder fragilidades
fecham-se numa armadura de posturas e palavras
escondendo deles as próprias verdades.

O longo caminho da solidão das escolhas
trás-nos sempre de volta a nós mesmos
contudo seremos sempre muito mais
do que só as opções que elegémos

Abster-se de uma imagem narcísica
pois só um Deus abarca tanto ego
e da autocomiseração e inferioridade
para não se praticar o próprio desapego.

Nestas questões de personalidade
convém decidir uma opção
ser o brilho conjunto de uma estrela
ou apenas um cometa que atravessa a imensidão.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

De Arthur Schopenhauer

A vida pode ser comparada a um bordado.
No começo da vida, vemos pelo lado direito e no final, pelo avesso.
O avesso pode não ser tão bonito mas é mais esclarecedor, pois permite perceber como são dados os pontos.

sábado, 20 de fevereiro de 2016

Que nunca te falte a distância




Para não te diminuires a menos do que mereças
Para que não peças mais do que podem dar
Para que não te esqueças que a pessoa a quem és mais próximo és TU PRÓPRIO
Para que compreendas sentimentos, pessoas, decisões, situações
Para ter clarividência para agir no momento e de silenciar quando é tempo
Para quando tenhas que saber que o melhor é estar perto
Para que saibas agarrar a vida quando esta te fugir pelas mãos
Para valorizar o que tens, tiveste e projectares o que queres ter
.... De saber que a tens, quando o tempo te fizer entender!

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Somos o que sorrimos ou sorrimos o que somos?

Um sorriso pode esconder...
... um hálito irónico
... uma vivência podre
... uma cárie de arrependimento
... um sentimento com tártaro
... uma dúvida que abana
... aftas de vulnerabilidade
ou um coração que sangra.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Para ti




















Contemplo sem hipótese de fuga
o inverno na janela dos dias
e ao som da chuva renovadora
vou esperando por outras melodias

O céu coloriu-se de cinzento
mas vou espreitando afincadamente
para imaginar um rasgo de azul
nos momentos em que está ausente

O vento sacode e rodopia
a roupa esquecida no estendal das memórias
avizinha-se o tempo de arrumar no armário
aquilo que pertenceu a outras histórias

Deixo-me permaneçer à janela
para ver o desfolhar de cada estação
desejando saber aplicar interiormente
a mesma capacidade de renovação.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Talentoso estudante de belas-artes
que nos ensina a sombrear uma memória
haverá algum coração combalido
que resista à sua convocatória?

Transforma uma silhueta
numa lembrança pouco perspicaz aos sentidos
o que não é mais, do que uma maneira complacente
de não acordar sentimentos adormecidos

Lentamente vai embalando
na espuma dos dias por viver
colocando em mãos um sem fim de areia
para outros castelos se conseguirem erguer

Desenha andorinhas a voar
num céu que era desconhecido
ensina a compreensão a concordar
naquilo que estava escondido.

Consola as ideias
que dificilmente ganhavam contorno no papel
e nas voltas em que se é entorpecido
o furacão vira carrossel

Afinal, dominar as artes do tempo
nunca será possível para os comuns mortais
Resta-nos a que quando este nos atinja
permitir que não fiquemos iguais!

sábado, 13 de fevereiro de 2016

A propósito da confirmação 100 anos depois

"(Carta de amigos de Einsten, escrita em 1952)

Qualquer dúvida se dissipou
Por fim algo se encontrou
A luz, que naturalmente curva flui
Para a grande fama de Einstein contribuiu!

Einstein respondeu:

O senhor Sol vida e luz nos disponibiliza
Mas não ama quem pensa e realiza.
Por isso nalguns anos faz questão
De preservar a sua discrição.
Porém há pouco tempo a Lua convidou
E de alegria quase brilhou.
O seu grande segredo foi revelado
Até o Eddington parece ter aceitado.
Aos amigos, quando estiverem em reunião
E pressentirem, uma hora de aflição
Pensem no Sol. Se ele não conseguir tal
Como não será com o comum mortal? "

Retirado da biografia Einstein (A minha vida dava um livro - coleção expresso)

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Inspirado por



O que quer que procures
não surgirá da forma como julgavas
pois a vida contêm este dom
de te fazer apreciar o que estranhavas

Ensina-te a não dizer nunca
elucida-te a saber esperar
pois só assim te consegue surpreender
com o quer que tenha para dar

Se é para ali, é para acolá
se é para trás, é para a frente
para entre voltas e entrelinhas
somar passado e presente

Portanto nunca te julgues confiante
ou num vazio de desesperança
pois quando menos esperares
algo vai equilibrar a balança.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

O amor próprio perguntou ao amor
O que posso fazer para te esqueçer?
Este respondeu-lhe rapidamente
Quando olhares para ti vais perceber.

O amor próprio com esta resposta simples
e imediamente complexa
sentiu-se logo perdido
levando as mãos à testa!

O amor riu-se maldosamente
como que querendo sentir-se desejado
porém, logo lhe cessou a vontade
de atear um fogo indelicado.

Vendo o amor próprio sem respostas
ajudou-o a perceber
dizendo-lhe sem rodeios
é só preciso um para o viver.

Pergunta o amor próprio
Mas não é melhor partilhado?
foi aí que percebeu
como estava enganado.

O amor afirmou convictamente
que para manter o queixo erguido
basta apenas adicionar identidade
em tudo o que estiver subtraído!

E aí o amor próprio entendeu
que ao respeitar em cada vida a singularidade
o que se sente como triste
é transformado em oportunidade!

domingo, 7 de fevereiro de 2016

"Universo sou eu, com nebulosas e tudo!"




  • Mesmo a grandes distâncias, o universo está ligado consigo mesmo. Segundo as palavras do físico David Bohm, o universo é uma unidade indivisível em movimento contínuo.
  • Para sua grande surpresa, os cientistas verificaram que o universo visível representa apenas 4% do total e que os restantes 96% são invisíveis! A parte invisível é constituida por uma força que provoca a sua expansão a um ritmo crescente (energia negra) e outra que o faz contrair em grupos de estrelas e galáxias (matéria negra).
  • Os cientistas julgavam que o espaço vazio era essencialmente vazio. Agora sabem que existe uma quantidade extraordinária de energia de fundo que permeia o universo, incluindo o espaço vazio. Um centímetro cúbico de espaço aparentemente vazio, a chamada energia ponto zero, contém o equivalente energético de milhões de bombas atómicas. Estamos a nadar num universo de energia subtil que ultrapassa a compreensão humana.
  • O universo não é estático, nem está quieto no meio do espaço vazio. Regenera-se a cada momento num processo que exige uma quantidade imensa de energia. Apesar da aparência de solidez e estabilidade, o universo é um sistema totalmente dinâmico. 
  • Num vivemos num universo mecanizado, onde tudo é previsível. A incerteza e a liberdade estão incorporadas nas fundações da existência material. Vivemos num mundo de probabilidades e não de certezas. A liberdade e a escolha são atributos reais do universo e indicam que o mesmo é um sistema de aprendizagem.
Fonte: Duane Elgin, Simplicidade Voluntária

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Carnaval carnaval
da intensa folia
de que me vou mascarar
para explodir em alegria?

Poderá ser de puta?
Tenho gosto nas separações!
E de furtar deliberadamente
a vida de outros corações.

Ou então de beata recatada
renegando com ironia
o prazer que adorava obter
mas que finjo com mestria.

E mascarar-me de um objecto
que seja tão útil quanto esquecido
será que não me estou a ocultar
nesse contéudo perdido?

Ou talvez algo encantador
onde desfile beleza e ego
para substituir todas as vezes
onde este ficou cego.

O que importa é que se abuse
de tudo aquilo de que não se é
para que a mascára caia
e ainda fiques de pé.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Tapem os bancos de jardim
e as varandinhas de ferro com vasos de flores
as camas de hotel por todo o mundo
os beijos intensos sem pudores.

Cubram cuidadosamente planos sonhados,
um retrato de familia feliz
uma música de amor realizado
o sorriso de quem tem o que quis.

Desapareçam com os fins de semana
as fotos em côr de primavera
a contemplação orgulhosa à distância
as duas metades de uma qualquer esfera.

Ocultem o desejo ofegante
o dicionário de palavras trocado em fluência
porque para quem falta o amor
tudo isto é decadência.
(Ou na melhor das hipóteses
um treino de resiliência.)
Neste mundo onde precisamos de nos fazer relevar e atribuir atenção pela quantidade de medalhas e estrelas que figuram na lapela... onde fica o pano de oportunidades para quem, embora não sendo portador de tal, é digno, feliz e bom no que faz? Desde quando isso deixou de ser meritório?